Tour na Toscana  / Curiosidades  / Sant’Ansano, o patrono de Siena
1 dez

Sant’Ansano, o patrono de Siena

Hoje, 1º de dezembro, celebramos o mártir Sant’Ansano, patrono de Siena.

Os milhares de visitantes que todos os anos, ficam admirados diante da famosa “Maestà” (1308-1311) de Duccio di Buoninsegna, conservada no Museo dell’Opera del Duomo, em Siena, prestam homenagem a Sant’Ansano, mesmo sem conhecê-lo. Sant’Ansano, primeiro patrono de Siena, é representado em um lugar de honra aos pés do trono da Virgem, ao lado dos outros três protetores da cidade de Siena (São Savino, São Crescenzio e São Vittore).

Maestà Duccio

A história de Sant’Ansano é intimamente ligada a história de Siena e é difícil falar dos monumentos e da arte desta cidade, sem mencionar o seu primeiro Santo padroeiro. Para Siena, a Festa de Sant’Ansano marca o início do ano Contradaiolo. Com uma procissão solene que começa na Piazza del Campo, as 17 Contradas vão para a Catedral, onde, no altar do Santo, o Arcebispo de Siena preside a celebração da Santa Missa. Caso desejas conhecer a história, os monumentos e arte de Siena, o Tour na Toscana poderá organizar a sua visita. Fale com a gente!

Sant’Ansano em Roma

Segundo a tradição, Ansano, de origem romana, nasceu em 284, filho do Senador Tranquilino, parente do imperador Diocleciano. Aos 12 anos de idade, foi tocado pela graça divina e assim abandonou a casa paterna, refugiando-se em uma catacumba. Ali foi batizado pelo sacerdote Protasio, que lhe encontrou inspirado por um anjo.

Ansano decidiu não se esconder mais e assim se apresentou ao imperador acompanhado por sua madrinha Massima que também tinha sido convertida ao cristianismo. Como consequência da confissão da sua fé, Ansano foi preso e obrigado a assistir o martírio de Massima.

Sant’Ansano em Siena

Giovanni di Paolo: Sant’Ansano que batiza os sieneses (1440) – Esztergom (Hungria)

Ansano conseguiu fugir da sua cidade natal e seguiu pela via Cassia. Chegou assim, a Bagnoregio e a Orvieto, onde passou alguns meses até que um anjo lhe disse de ir para Siena. Foi em Siena que Ansano começou a pregar o Evangelho. As multidões se reuniam para ouvir as suas pregações e assim os primeiros sieneses foram batizados e convertidos ao cristianismo. E ainda hoje, Ansano é conhecido como o Santo “batizador dos sieneses”.

Nem mesmo em Siena, Ansano teve paz. O procônsul Lisia mandou esculpir esculturas de Hércules, Giove, e Saturno e ordenou que as esculturas pagãs fossem adoradas. É claro que Ansano se negou e por esse motivo foi preso em uma torre. Segundo a tradição tal torre é localizada na Via San Quirico, onde depois surgiu a igreja chamada “Chiesa delle Carceri di Sant’Ansano”.

Da torre, Ansano continuava a proferir o batismo aos sieneses que eram convertidos. A tradição diz que foi nessa época que aconteceu um dos milagres mais famosos de Ansano. Após ser torturado por muito tempo para que negasse a sua fé, Ansano foi condenado a ser queimado na fogueira, mas chamas se apagaram milagrosamente e assim o Santo saiu ileso. Decidiram então que Ansano fosse decapitado com a espada fora da muralha da cidade, nas margens do rio Arbia. Em 1º de dezembro de 304 (ou 303, segundo algumas fontes) perto de Dofana, na diocese de Arezzo, Ansano foi decapitado. No local do seu martírio foi construída uma igreja.

Ansano é importante em Siena, porque foi  o primeiro a evangelizar a cidade. Foi Ansano quem levou o sacramento do batismo aos sieneses.

Siga-nos nas redes sociais: Facebook e Instagram.

Artigo escrito por Cristiane de Oliveira

Cristiane de Oliveira
Cristiane de Oliveira

Carioca de nascimento e florentina por paixão. é curiosa, blogueira e guia de turismo. Apaixonada e especialista em vinhos, é sommelier deste de 2014.

No Comments

Leave a Reply: