Tour na Toscana  / Arezzo  / Carnavais da Itália
5 fev

Carnavais da Itália

No belissimo livro “Carnavais do Brasil” a fotógrafa Catherine Krulik ressalta as diferentes formas de brincar o carnaval no nosso país. Parafraseando o título, na Itália ocorre o mesmo pois cada localidade possui a sua própria tradição para a festa.

As origens do carnaval são muito antigas e tem suas raízes nas festas denominadas Saturnálias, que os antigos romanos realizavam para celebrar o ano novo. O uso das máscaras provavelmente tem origem no fato que nas festas pagãs elas assustavam os espíritos malignos.

A etmologia do termo “carnaval” provavelmente tem origem na expressão latina “carnem levare” que indicava o banquete celebrado no último dia antes do período de abstinência e jejum de carne durante a Quaresma.

Um ditado italiano diz que “a carnevale ogni scherzo vale”, ou seja, é permitido fazer qualquer tipo de brincadeira durante o carnaval e desde épocas remotas a festa caracterizou-se pela permissividade em satisfazer os prazeres carnais, da gula e da bebida.

Este vale-tudo foi imortalizado durante o Renascimento no texto da letra de Baco e Ariadne dos “Canti Carnascialeschi. É uma espécie de marchinha de carnaval que acompanhava os carros alegóricos de Florença, escrita por Lorenzo il Magnifico, um dos membros mais influentes da família dos Medici, que exaltava a juventude fugidia, e a exortava a viver alegremente diante das incertezas do amanhã:

“Quant’è bella giovinezza

che si fugge tuttavia.

Chi vuol esser lieto sia,

di doman non v’è certezza”

A decoração dos carros alegóricos e de outros adornos efímeros que decoravam a cidade durante o carnaval também empregava o trabalho de grandes artistas como Granacci, Andrea del Sarto, Pontormo, Piero di Cosimo, Bacio Bandinelli e outros.

No século XVIII o ator Luigi del Buono criou o personagem do Stenterello, que tornou-se uma máscara tradicional da Comédia da Arte e do carnaval de Florença. Trata-se da representação de uma figura do povo que enfrenta injustiças e adversidades com a ironia que distingue os florentinos.

 

Algumas tradições permaneceram e outras mudaram durante os séculos e atualmente o carnaval mais famoso da Itália é o de Veneza. Ali o carnaval foi instituído como festa pública desde 1296 pelas oligarquias, para permitir a população um período de diversão e para diminuir as tensões sociais. Sua característica principal é o uso das máscaras que permitiam uma liberdade imensa para quem as utilizava pois anulavam as diferenças de classe social, sexo e religião. O senado veneziano chegou até a decretar que nenhuma pessoa que utilizava uma máscara poderia ser considerada inferior a qualquer outra. As máscaras viraram moda e o uso difundiu-se também fora do período do carnaval. Até hoje milhares de pessoas vão para Veneza para ver as lindas máscaras e fantasias de carnaval naquela fantástica cidade.

Carnaval Veneza

 

Uma festa completamente diferente ocorre em Ivrea, uma cidadezinha piemontesa no norte da Itália. Trata-se de uma reevocação histórica de uma revolta popular contra o barão que era o tirano da cidade durante o período medieval. Além do cortejo realiza-se uma batalha de laranjas pelas ruas da cidade, como é possível apreciar nessas imagens realizadas por um drone:

Na Toscana o carnaval mais importante é o de Viareggio. Tudo iniciou em 1873 quando um grupo de ricos burgueses fez uma manifestação utilizando máscaras para protestar contra os impostos. O que era protesto virou brincadeira e aos poucos o desfile de carnaval foi se tornando um evento importante. Atualmente na cidade praiana ocorre o desfile dos maiores carros alegóricos do mundo. Os carros são tecnologicamente muito avançados nos movimentos e tem as decorações feitas com papier machè que representam personagens fantásticos, políticos, artistas, jogadores e outras personalidades importantes.

Em geral muitas cidades toscanas tem um pequeno desfile de carnaval e festas dedicadas as crianças e um dos mais antigos importantes é em Foiano della Chiana na província de Arezzo.

Em Florença infelizmente o carnaval não tem mais o brilho dos tempos do Renascimento, mas é possível deleitar-se nos prazeres da gula com doces típicos do periodo carnavalesco como a schiacciata fiorentina, fritelle e os cenci que se encontram nas principais docerias da cidade.

E para quem estiver com muitas saudades da nossa terrinha, esse é um período cheio de iniciativas ligadas a cultura brasileira.

Bom divertimento!

 

Texto: Katia Martinez

Katia
Kátia Martinez

Paulistana, guia oficial, PHD em História e pesquisadora, já morou em Londres e na Espanha, mas escolheu Florença pelo amor à arte.

No Comments

Leave a Reply: