Tour na Toscana / Festas Tradicionais  / Descubra o Calcio Storico Fiorentino
23 jun

Descubra o Calcio Storico Fiorentino

O Calcio Storico Fiorentino, na tradução literal “futebol histórico florentino”, tem raízes muito antigas. Segundo a tradição, muitos pensam derive de jogos da Antiguidade Clássica, e que possa ter sido o jogo que inspirou esportes mais modernos, como o Rugby e o Futebol Americano.

Em muitas civilizações existiram jogos nos quais os participantes brigavam por uma bola. Entre os gregos foi o “Episkiros” ou “Sferomachia” e o “Harpastum” na antiga Roma. O Harpastum (significa arrancar com força) era um jogo muito popular entre os legionários pois era perfeito como um treinamento nos acampamentos militares para as batalhas, e por isso se difundiu por todo o Império romano. Em um campo de terra, dividia-se dois grupos com o mesmo número de jogadores, e o jogo era um corpo a corpo para o domínio da bola.

O jogo do Harpastum em um afresco romano.

Mas do ponto de vista histórico, as primeiras notícias que temos do Calcio Storico são do final da época medieval. No século XV, este jogo de bola se popularizou tanto que jogava-se nas ruas e praças da cidade, durante as pausas do trabalho ou das festas dos bairros. Como frequentemente o jogo terminava em arruaça, chegou a ser proibido em alguns locais, tanto que existem ainda algumas placas de mármore com o edito dos Otto di Guardia e di Balia, uma espécie de conselho de segurança pública, que proíbe vários jogos, incluindo o “gioco di palla“.

Com o tempo houve uma reorganização do jogo, que tornou-se popular também entre as famílias ricas e aristocráticas, com partidas onde os jogadores se apresentavam com sumptuosos costumes, sendo que até vários membros da família dos Medici adoravam jogar. As partidas ocorriam em eventos especiais, principalmente durante as festas do carnaval, somente nas praças principais da cidade. Neste afresco do Palazzo Vecchio, pode-se ver que o jogo era realizado na Piazza Santa Maria Novella.

Giovanni Stradano: o Calcio na Piazza Santa Maria Novella (1561/2)

A partida mais importante da história foi a de 17 de fevereiro de 1530, pois a Florença estava sitiada pelas tropas imperiais de Carlos V para submeter a Repubblica Fiorentina ao retorno do exílio dos Medici. Os florentinos como demonstração de liberdade e uma forma de desprezo e provocação aos inimigos, jogaram esta partida, que era uma tradição de carnaval.

O Calcio Fiorentino na Piazza Santa Croce em 1688

A partir do século XVIII os florentinos começaram a perder interesse neste jogo e as partidas cessaram oficialmente em 1739. A nova dinastia reinante dos Lorena não tinha nenhuma simpatia pelo jogo de bola e proibiu-o em várias praças.

Proibição dos jogos de bola nas praças

O Calcio Storico foi redescoberto a partir de 1930, com a reevocação histórica do quarto centenário da partida do assédio de Florença. A partir de então os quatro bairros da cidade (San Giovanni, Santa Maria Novella, Santa Croce e Santo Spirito) organizaram-se em times e começaram a jogar novamente este antigo esporte. O Calcio Storico pode ser chamado também de Calcio in Costume ou Calcio in Livrea, pois utilizam-se os costumes inspirados no renascimento.

Atualmente o jogo é uma das principais evocações históricas em Florença.

Cada bairro tem a sua cor e os jogadores são chamados de acordo: os verdes (i verdi) de San Giovanni, os vermelhos (i rossi) de Santa Maria Novella, os azuis (gli azzurri) de Santa Croce e os brancos (i bianchi) de Santo Spirito.

 

 

 

 

 

O cortejo histórico que antecede os jogos é bellíssimo, especialmente na partida final, que é jogada no dia 24 de junho, dia de São João Batista, o padroeiro da cidade.

O desfile é composto de 550 figurantes em costumes renascentistas. com os jogadores (calcianti), representantes das antigas famílias nobres, soldados com armas e armaduras em estilo antigo, as damas com vestidos magníficos, os músicos… E’ belíssimo, uma evocação em grande estilo e muito sentida pelos participantes.

Atualmente o campo é montado na Piazza Santa Croce. O jogo tem poucas regras: Cada time tem 27 calcianti, e as posições no campo são 5 Sconciatori e 7 Datori (uma espécie de meio de campo), 4 innanzi (atacantes), e 3 addietro (defesa): e 15 corredores em 3 quadriglie (grupos). Desde o início da partida os calcianti vão fazer qualquer coisa para pegar a bola, num vale-tudo (misto de rugby, football e luta livre), para levar a bola para além da linha adversária e fazer o gol, que se chama “caccia“. Quando um time faz uma caccia se dispara uma “colubrina” marcando o ponto e se inverte o campo. Se a bola é lançada ou chutada além da rete, é uma “mezza caccia” e o ponto vai para o outro time.

O jogo dura 50 minutos e ao final os calcianti estão com as roupas completamente esfarrapadas, cobertos de poeira e muitas vezes de sangue.

O prêmio é uma vitela da raça chianina, uma raça autoctone da Toscana, como símbolo de prosperidade e o Palio de São João.

Após a partida o cortejo se reorganiza e recomeça seguindo o toque da tromba. e o rolar dos tambores e pode-se curtir o espetáculo dos “bandierai” do Uffizi, um grupo de “sbandieratori” que agitam e jogam as bandeiras entre eles de uma forma magistral.

O Tour na Toscana se une ao coro do cortejo e invoca: “Viva Fiorenza!”

* As imagens deste artigo são da Wikipédia

Katia
Kátia Martinez

Paulistana, guia oficial, PHD em História e pesquisadora, já morou em Londres e na Espanha, mas escolheu Florença pelo amor à arte.

No Comments

Leave a Reply: