Tour na Toscana  / Dicas  / Como escolher um guia de turismo na Itália
29 ago

Como escolher um guia de turismo na Itália

Você está planejando uma viagem para a Itália e quer dicas para escolher um guia de turismo? Ultimamente muitas pessoas estão se improvisando como guias, sem ter qualquer qualificação e credenciais para trabalhar nesta área e andam dizendo barbaridades por ai. Os seguidores do Tour na Toscana nos pediram uma elucidação sobre as diferenças entre guias de turismo e acompanhantes na Itália.

As profissões no setor de turismo são submetidas a legislação de cada país, e é importante conhece-la para evitar cair em armadilhas.

O Guia de Turismo

A função do Guia de Turismo é de acompanhar pessoas ou grupos em percursos culturais urbanos, visitar galerias de arte, museus, ilustrando as características históricas, artísticas, monumentais, paisagísticas e naturais. Ademais pode acompanhar e descrever eventos, festividades e espetáculos de caráter cultural, folclórico e artístico.

Para tornar-se Guia de Turismo na Itália é necessário obter uma qualificação seguindo um curso de 800 horas/aula, além de estágio e passar por um exame final. Neste momento estamos em um período de transição na legislação, e, apesar das matérias estarem relacionadas a província do local onde se faz o curso, a habilitação vale para todo o território italiano.

Ao passar o exame, o novo guia faz um pedido para a administração da cidade onde é residente para obter o “patentino“, ou seja a licença no crachá para poder trabalhar. Por isso, o crachá pode variar de cidade para cidade, mas tem sempre o nome do guia, as línguas estrangeiras nas quais obteve a licença, além do italiano, e o âmbito provincial do trabalho (para quem é guia há pelo menos 4 anos).

Exemplo do meu “patentino” sem a foto e alguns dados, para evitar que seja copiado pelos guias abusivos

A licença de guia de turismo não dá a possibilidade de guiar carros transportando clientes. Para ser motorista na Itália, existe a licença chamada NCC: Noleggio con conducente, ou seja é o aluguel de um carro com motorista, que tem a licença para conduzir turistas, permissão para entrar nos centros históricos e um seguro específico que cobre qualquer eventual acidente. O motorista do NCC não pode atuar como guia de turismo, se não tiver a habilitação específica.

Alguns guias de turismo acharam que existia uma brecha na legislação e passaram a transportar clientes no próprio carro, ou em um carro alugado. Mas um recente parecer de outubro de 2019 da “Area turismo Confcommercio Toscana – Confguide”, uma das maiores associações de categoria na qual todas as guias do Tour na Toscana estão inscritas, analisou a legislação italiana e relativos vínculos da diretiva Bolkestein e estabeleceu que:

  • os guias de turismo não podem acompanhar os turistas com o próprio carro ou alugar um carro para acompanhar os turistas
  • os guias de turismo podem deslocar-se com os meios de transporte utilizados pelos clientes, como ônibus, NCC ou taxi, ou um meio de propriedade do cliente.

Por isso muito cuidado que se um guia lhe oferecer o serviço de transporte sem ter uma habilitação também como NCC, estará fazendo um serviço que além de ser fora da lei, não estará coberto por um seguro como este tipo de transporte requer.

O Assistente de Turismo ou Tour Leader

A função do Assistente de Turismo é de acompanhar pessoas ou grupos em uma viagem pelo território italiano ou internacional, para cuidar de todos os detalhes técnicos da viagem e executar o programa turístico pré estabelecido. Faz a mediação entre a agência ou Tour Operator e os clientes, marca os restaurantes, faz check in nos hotéis, acompanha até os lugares a serem visitados, está preparado para lidar com imprevistos que podem ocorrer durante uma viagem. Durante os translados pode dar informações gerais sobre as áreas que serão visitadas mas nada que entre no âmbito dos guias de turismo, não pode fazer passeios guiados, explicar monumentos, museus e tudo o mais descrito acima como as funções do guia de turismo.

 

O Guia Ambiental (Guida Ambientale Escursionistica– GAE)

A função do Guia Ambiental é de acompanhar pessoas ou grupos em visitas em áreas de interesse ambiental, explicando os aspectos relativos a natureza, com passeios a pé em trilhas, de bicicleta, canoa, caiaque (sem utilizar meios aquáticos a motor). Muitos profissionais desta área trabalham para projetos de educação ambiental.

O percurso formativo deste profissional é através de um curso reconhecido pela Associazione Italiana Guide Ambientali Escursionistiche (AIGAE) e se obtido o resultado positivo na prova final é necessário se inscrever no Registro italiano delle guide ambientali. Para poder trabalhar com excursões nas montanhas é necessário seguir outro percurso semelhante como Guia Alpina (Guida Alpina) que pode trabalhar com percursos alpinos, rochas, gelo e ski.

 

Os blogueiros de viagem podem trabalhar como guias de turismo?

É sempre bom se basear na experiência de outras pessoas para ter dicas de passeios, e os blogs de viagem podem dar indicações preciosas! Porém os (as) blogueiros (as) podem trabalhar como guias de turismo somente se tiverem a habilitação para faze-lo. Ultimamente as autoridades de várias cidades italianas tem feito controles, e quem foi pego trabalhando como guia de forma abusiva recebeu uma multa de 2000 euros e teve que parar de fazer o passeio. Imagine encontrar-se nesta situação durante a viagem… Não vai ser nada agradável! Por isso aconselhamos sempre certificar-se que o seu guia tenha a habilitação, é um controle de qualidade mínimo sobre a profissionalidade.

Controle o elenco dos Guias de Turismo, Acompanhantes, Guias Ambientais e Alpinos da Região Toscana

 

O fenômeno dos free-tours

Em muitos lugares tem se intensificado o fenômeno dos free-tours. O título é enganoso, tendo em vista que os tours não são gratuitos, pois de base existe um pagamento, que varia de acordo com as associações que promovem estes passeios. Algumas vezes o guia é habilitado, mas na maioria das vezes as pessoas que conduzem estes percursos não são. Já ouvimos barbaridades do tipo que o Leonardo da Vinci roubava o cadáver dos condenados a morte no Bargello e os levava para sua casa para disseca-los; que a Beatriz musa de Dante Alighieri pertencia a família dos Medici; que São João Batista estava ao lado de Cristo na Última ceia… Enfim, poderíamos fazer até um livro sobre os absurdos que dizem por aí. Até seria engraçado, mas pense que se você vai passar poucos dias, e ás vezes até poucas horas em uma cidade histórica como Florença, uma coisa que parece quase gratuita fica cara, pois você perde tempo e acha que aprendeu, mas foi completamente enganado.

As guias de turismo do Tour na Toscana. Da esquerda para a direita: Cristiane, Katia, Pola, Luciana, Marise e Bea, com a nossa linda mascote!

O Tour na Toscana

As participantes do Tour na Toscana (Luciana Masiero, Cristiane de Oliveira, Marise Nakagawa, Pola Ribeiro, Beatriz Correia e Kátia Martinez) possuem habilitação como Guia de Turismo e continuam fazendo muitos cursos de atualização e especialização em história, gastronomia, enologia, etc para oferecer serviços cada vez melhores. Todas, com exceção de Pola e Katia também são Tour Leader, de modo que podemos preparar e guiar você e seu grupo durante toda uma viagem.

Temos muitos contatos com guias de outras localidades italianas e também do mundo graças a um grupo criado por Marise Nakagawa.

Se precisarem de dicas, entrem em contato conosco através do email:

info@tournatoscana.com

ou das nossas redes sociais:

Estamos lhes esperando para uma viagem inesquecível na Itália!

 

Texto revisto em 31/10/2019

Texto: Katia Martinez

Katia
Kátia Martinez

Paulistana, guia oficial, PHD em História e pesquisadora, já morou em Londres e na Espanha, mas escolheu Florença pelo amor à arte.

No Comments

Leave a Reply: